Conheça a cidade

//Conheça a cidade
Conheça a cidade 2019-01-02T11:33:21+00:00
Dados Socioeconômicos de Santana do Cariri
Gentilico Santanense-do-cariri
Área de Unidade Territorial 855,563 km²
População Estimada 17.170 Habitantes
Indice de Desenvolvimento Humano Municipal – IDHM 0,612
PIB per capita R$ 6.897,74
Fonte: Wikipédia/IBGE

Santana do Cariri é um município do estado do Ceará, Brasil. Localiza-se na microrregião do Cariri, mesorregião do Sul Cearense, bem como na Região Metropolitana do Cariri. O município tem 807 km², estima-se que em 2018 sua população chegou em 17.622 habitantes segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Foi criado em 1885 pela lei 2.096, código: 2312106. Possui o título de “Capital Cearense da Paleontologia”.

Destaca-se por possuir um vasto sítio paleontológico, onde já foram descobertas várias espécies de animais extintos. Abriga o Museu de Paleontologia da Universidade Regional do Cariri, o Casarão Cultural Felinto da Cruz Neves e Generosa Amélia da Cruz 1ª mulher prefeita de Santana, 1ª do Ceará e 2ª do Brasil. Igreja matriz de Senhora Sant’Ana” centenária e em estilo neo clássico, Pontal da Santa Cruz a 750m de Altitude acima do nível do mar com mirante e restaurante na Chapada do Araripe.

Atualmente tem seis distritos: Santana do Cariri (Sede) Dom Leme (1987), Brejo Grande (1912), Anjinhos (1963), Araporanga (1938) e Pontal da Santana Cruz (1990).

Possui dois bairros: Santana do Cariri (sede) e Inhumas (se torna bairro em 2014 pela lei municipal n° 737).

Abriga 19 escolas municipais públicas, 2 (duas) escolas privadas e 1 escola estadual.

Sua prefeitura fica localizada no centro da cidade, rua Dr. José Augusto, 397, CEP: 63.190-000.

O município tem como símbolo religioso Senhora Santana, bem como a jovem Benigna Cardoso da Silva – mais conhecida como heroína da castidade.

Santana do Cariri destaca-se também pelo comércio de produtos feitos manualmente na Associação Santanense de Apoio ao Artesão. Os turistas podem comprar artesanato típico feito em renda, bordado, couro, cerâmica e pintura. Na gastronomia, destaque para a galinha à cabidela e baião-de-dois com pequi. Seu período chuvoso geralmente é de Janeiro a Maio de cada ano.

Chamou-se primitivamente Brejo Grande, local habitado pela tribo nativa dos guerreiros denominados Buxixés, Tapuias que dominavam , além do Araripe terras limítrofes de Pernambuco. Suas origens remontam ao final do Século XVII, quando os irmãos João Alves Feitosa e José Cavalcante, procedentes da Casa da Torre (Bahia), requereram e obtiveram terras nas margens do Riacho Brejo Grande. Diante das condições geologicamente favoráveis, não somente com relação à pecuária, mas sobretudo à agricultura, houve rápido desenvolvimento do reduto, atraindo novos moradores para a região, com o afluxo de moradores, foi erigida uma capela sob a invocação de Senhora Santana, no mesmo local da atual Matriz. Dessa pioneira convergência nasceria o arraial e o povoamento adjacente, formando-se rápido estágio de florescimento. A elevação do arraial à categoria de Vila ocorreu segundo Lei Provincial nº 2.096, de 26 de Novembro de 1885.

Santana também já foi chamada de Santana do Araripe, Santana do Cariry, Santanópole e finalmente voltou à denominação tradicional em 22 de Novembro de 1951, chamando-se Santana do Cariri.

Data da elevação à categoria de Município: 20 de dezembro de 1938, ainda, com o nome de Santonópole, sob a forma do Decreto-Lei nº 448

Museu de Paleontologia da Universidade Regional do Cariri

Igreja Matriz de Nossa Senhora Santana

Casarão (Museu Histórico) do Coronel Felinto Cruz

Cruzeiro do Pontal

Distrito criado com a denominação de Santana do Brejo Grande, pela lei provincial nº 124, de 26-08-1838, subordinado ao município de Assare.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Santana do Brejo Grande, pela lei provincial nº 2096, de 25-11-1885. Sede no núcleo de Santana do Brejo Grande. Constituído de 2 distritos: Santana do Brejo Grande e Nova Olinda. Pela lei estadual nº 287, de 03-08-1896, a vila de Santana do Brejo Grande passou a denominar-se Santana do Cariri.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, a vila é constituída de 2 distritos: Santana do Cariri e Nova Olinda. Pelo ato de 26-12-1912, é criado o distrito de Brejo Grande e anexado ao município de Santana do Cariri.

Pela lei estadual nº 1794, de 09-10-1920, o município de Santana do Cariri adquiriu o extinto município de Quixará, como simples distrito. Pela lei estadual nº 2359, de 26-07-1926, o distrito de Quixará deixa de pertencer ao município de Santana do Cariri, sendo anexado ao município de Crato Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 3 distritos: Santana do Cariri, Brejo Grande e Nova Olinda.

Assim permanecendo em divisões territoriais de 31-XII-1936 e 31-XII-1937. Pelo decreto estadual nº 448, de 20-12-1938, o município de Santana do Cariri passou a denominar-se Santonópole. Sob o mesmo decreto é criado o distrito de Boa Saúde com terras desmembradas dos distritos de Santonópole e Nova Olinda e anexado ao município de Santonópole.No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943 o município já denominado Santonópole ex-Santana do Cariri é constituído de 4 distritos: Santonópole, Brejo Grande, Boa Saúde e Nova Olinda.

Pelo decreto-lei estadual nº 1114, de 30-12-1943, o distrito de Boa Saúde passou a denominar-se Araporanga. Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 4 distritos: Santonópole, Araponga, Brejo Grande e Nova Olinda. Pela lei estadual nº 1153, de 22-11-1951, o município de Santonópole voltou a denominar-se Santana do Cariri. Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído de 4 distritos: Santana do Cariri, Araponga, Brejo Grande e Nova Olinda.

Pela lei estadual nº 3555, de 14-03-1957, desmembra do município de santana do Cariri o distrito de Nova Olinda. Elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 3 distritos: Santana do Cariri, Araponga e Brejo Grande. Pela lei nº 6441, de 30-08-1963, desmembra do município de Santana do Cariri distrito de Brejo Grande. Elevado à categoria de município com a denominação de Roquelândia. Pela lei estadual nº 6567, de 18-09-1963, é criado o distrito de Anjinhos e anexado ao município de Santana do Cariri.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 3 distritos: Santana do Cariri, Anjinhos e Araponga. Pela lei estadual nº 8339, de 14-12-1965, o município de Santana adquiriu o extinto município de Brejo Grande, pois fora criado e não instalado, como simples distrito. Em divisão territorial datada de 31-XII-1968, o município é constituído de 4 distritos: Santana do Cariri, Anjinhos, Araponga e Brejo Grande. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1983. Pela lei estadual nº 11327, de 04-05-1987, é criado o distrito de Dom Leme e anexado ao município de Santana do Cariri. Pela lei municipal nº 307, de 10-09-1990, são criados os distritos de Inhumas e Pontal da Santa Cruz e anexado ao município de Santana do Cariri. Em divisão territorial datada de 17-I-1991 município é constituído de 7 distritos: Santana do Cariri, Anjinhos, Araponga, Brejo Grande, Dom Leme, Inhumas e Pontal da Santa Cruz. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Alterações toponímicas municipais Santana do Brejo Grande para Santana do Cariri alterado, pela lei estadual nº 287, de 03-08-1896. Santana do Cariri para Santonópole alterado, pelo decreto estadual nº 448, de 20-12-1938. Santonópole para Santana do Cariri alterado, pela lei estadual nº 1153, de 22-11-1951.

Floresta subcaducifólia tropical xeromorfa, Carrasco, Floresta subcaducifólia tropical pluvial e Floresta subcaducifólia tropical plúvio- nebular.

– 16 a 26 de Julho: Festa de Nossa Senhora Santana

São dez dias de comemorações religiosas e populares, que se inicia com o cortejo folclórico-cultural, milhares de devotos conduzindo o Pau da Bandeira de Inhumas até a matriz de Senhora Santana, acompanhados de grupos folclóricos e banda de música, numa manifestação sacro-profana. Dando-se continuidade nos dias seguintes, o novenário em louvor de Santa Ana. No calçadão, acontecem as festas populares com apresentação de bandas, artistas populares, shows, exposições, retretas, leilões, bingos; nas barracas: comidas e bebidas típicas e artesanatos. O encerramento se faz com a grande procissão da padroeira com participação de milhares de fiéis.

– Junho: Festa de Quadrilhas

Data da elevação do arraial à categoria de Vila: 25 de novembro de 1885, segundo a Lei Provincial nº 2.096.

– Grande Vaquejada de Santana do Cariri

Descrição: Missa benção dos chapéus, desfile e escolha da rainha, durante os três dias de disputa entre várias duplas de vaqueiros na derruba de bois. Festas dançantes que marcam a grande presença do Público.

– 21 a 25 de Novembro: Semana do Município

Descrição: Semana festiva, na qual se comemora o aniversário do município, onde são realizadas atividades artístico-culturais envolvendo a comunidade urbana e rural: competições desportivas, shows com artistas populares, festivais de talentos, apresentações culturais, festas dançantes, retretas, mostra de turismo e artesanato, show pirotécnico.